quarta-feira, 29 de julho de 2009

TURISTAS

DVD Turistas

EUA (2006)

Direção: John Stockwell

Elenco:Josh Duhamel, Melissa George, Olivia Wilde, Desmond Askew e Beau Garrett

O esporte favorito dos gringos é falar mal do Brasil. Se você quer ter a certeza da espécie de linchamento que o nosso país sofre é só ler os tablóides ingleses. É um tal de devastação da Amazônia pra cá, menores abandonados pra lá, corrupção e índices de violência que faz parecer que moramos numa espécie de inferno tropical.

Eles também tem a idéia fixa de que existem jacarés, leões e cobras pelas ruas das grandes capitais e dão como líquido e certo que todas as mulheres daqui são prostitutas.

Questionar se estão ou não com a razão me parece uma enorme piada e perda de tempo. Só acho que ninguém gosta de ver erros apontados por outros mesmo quando eles estão escancarados para todos verem. Estão ?

Esta introdução é necessária para explicar “Turistas” de John Stockwell (que no momento está finalizando uma coisa chamada “Kid Cannabis”...). O filme é um amontoado de besteiras, clichês e factóides. Começa com um grupo de jovens turistas se perdendo nas estradas brasileiras: pensavam que estavam indo para Florianópolis mas acabaram em alguma praia do Nordeste.

Os turistas encontram uma ilha paradisíaca e um quiosque com comida e música; consomem todas as bebidas e drogas que encontram no caminho, ficam doidaços e começam a dançar o nosso maravilhoso funk carioca e o nosso autêntico forró. Logo temos a clássica história do “Boa Noite Cinderela” (o golpe da bebida com sonífero, não o milenar quadro do Programa Silvio Santos) e os jovens acordam semi-nús, sem passaportes e sem dinheiro. Aprendem na carne o que é “se ferrar de verde-e-amarelo”.

Um jovem praiano decide ajuda-los e os levam até uma casa no meio da floresta. No trajeto todos já tristes, desconfiados e temerosos decidem voltar. Percebem então que estão perdidos e, sem alternativas, dão uma espécie de “voto de confiança” ao guia turístico. Este sugere ao grupo um mergulho de cachoeira.

Mergulham. Tudo é bonito e belo, a cachoeira desembocava num lago cristalino que dava passagem, através de uma gruta submersa, até um outro lado da floresta. Aí vem a papagaiada do filme - O diretor meio sem idéias começa a apresentar intermináveis e claustrofóbicas cenas de mergulho. Sinceramente, nem juntando o Aquaman com o Namor alguém conseguiria mergulhar e ficar submerso por tantos minutos. Precisariam de um pulmão de ferro.

Neste instante (sei lá uns 30 minutos de filme, já fica explícita a picaretagem da fita), o jovem que os guiava dá um salto mal calculado, bate a cabeça e desmaia deixando todos perdidinhos da silva. Com muito esforço estes chegam a tal casa. Lá, como não aparece ninguém para recebe-los , começam a fuçar nas coisas e acham os próprios passaportes furtados na praia.

Com uma capacidade de recuperação maior que a do Wolverine aparece o morador que bateu a cabeça na pedra e agora ele está com outros planos. Quer matar todos os turistas por ter sido abandonado ferido.

Os jovens tentam fugir, são capturados e então aparece o verdadeiro vilão da história: um “cientista-louco” que tinha como hobby seqüestrar, drogar e extrair órgãos (rins, fígado, etc) dos manés que se arriscavam no nosso perigosíssimo país.

Não me recordo o final, parece que escapam da roubada mas não tenho certeza. Alguém se importa ?

“Turistas”.Uma verdadeira “viagem na maionese” !

*Ruim

Nenhum comentário:

AKIM