quarta-feira, 30 de junho de 2010

ESTRELA QUE VALE POR TRÊS

 

estrela Uma sensação tempestuosa em Hollywood, que está sendo alvo dos mais lisonjeiros comentários na terra do cinema – a ardente Suzanne Ames.

estrela

Suzanne Ames tem um tríplice título ao sucesso e está disposta a consegui-lo. Como espetacular corista no “Moulin-Rouge” de Hollywood, como uma artista de cinema que tem sido comparada a Jane Russell e como modelo fotográfica das mais procuradas.

Suzanne pode escolher a vitória na carreira que preferir . Tornando-se cada vez mais perita na arte de representar, já conseguiu papéis nos seguintes filmes: “Son of Sinbad”, “O Caminho do Pecado” e “Um Romance em Paris”.

estrela2

Mas, ao mesmo tempo que o seu prestígio no cinema cresce de dia para dia, a estonteante morena é alvo de muitos comentários pela sua magnífica atuação no “Moulin-Rouge”.

Nos bastidores do espetáculo, Suzanne veste trajes deslumbrantes.

estrela3

Depois de seu exaustivo trabalho no “show”, a bela Suzanne ainda acha tempo para ler um bom livro.

 

(Aconteceu Nº 17, fevereiro de 1955)

http://www.imdb.com/name/nm0024749/

ARTE DA CAPA – VIVIANE ARAUJO

 

135 viviane araujo 73 viviane araujo Viviane_Araujo_10 Sx_Video_2001-05_Viviane_Araujo_Scan_1 194 viviane araujo 98 viviane araujo GRD_12_CAPA MF_png  Pb_Super_Poster_Viviane_Araujo_1  114 viviane araujobigPhoto_0

RECLAME – CICA, ALKA-SELTZER E TODDY

 

07-PROPAGANDA-03-10-2008

07-PROPAGANDA ANTIGA-IMAGEM-05-12-2008

07-PROPAGANDA ANTIGA-IMAGEM-05-09-2008

KA-ZAR Nº 2

 

Editora Bloch (1975)

KZ_Bloch_02_01

KZ_Bloch_02_04

KZ_Bloch_02_27

KZ_Bloch_02_38

terça-feira, 29 de junho de 2010

SUPOSTO MONSTRO MATA ANIMAIS EM MIAMI (Agência France Press 17/03/1996)

 

cesariocopy

Um suposto monstro extraterrestre, que chupa o sangue de animais domésticos e, por isto, está sendo chamado de Chupacabras, está aterrorizando moradores de um subúrbio de Miami.

O fato provocou uma romaria de parapsicólogos , autointitulados cientistas e proclamados pesquisadores sobre objetos voadores não identificados, que inundaram Miami com as mais insólitas teorias. Desde um “ser criado por extraterrestres através de engenharia genética”, até “um demônio”, passando por um “híbrido desconhecido” (cruzamento de dois animais diferentes), foram as explicações dadas pelos especialistas.

ete2

Entre os moradores de um subúrbio semi-rural do noroeste de Miami, onde os animais apareceram mortos, os comentários desafiam a lógica: dizem que o monstro tem pele de réptil, olhos vermelhos e anda encurvado sobre duas extremidades traseiras. Além disso, o bicho “pode hipnotizar suas vítimas”, afirmam os moradores da área.

“O Chupacabras hipnotiza os animais para que fiquem quietos enquanto chupa seu sangue. Por isso nunca ouvimos nada”, contou Olímpia Gadea, em cuja casa apareceram mortas, nesta semana, duas cabras e 27 galinhas. A polícia e os veterinários afirmam – com base nas provas recolhidas – que as mortes foram causadas por um cão de cerca de 22 kg, que possivelmente entrou no curral.

“Não quero faltar com respeito a algumas lendas, mas se o Chupacabras existe, ele não foi o responsável pelas mortes desses animais”, disse o representante do Zoológico de Miami, Ron Magill. Ele acrescentou que as marcas nos animais mortos eram iguais às encontradas no ano passado, quando cães semi-selvagens mataram vários antílopes do Zôo de Miami.

ARTE DA CAPA – AMY WINEHOUSE

 

amy winehouse amy-winehouse-jalouse e1c2_12 !BgO8T,gCGk~$(KGrHqMOKjsEry10Wjk BLEkb)OWD!~~_12 529f_7 4562_12 sem título vogue-cover-amy-winehouse ekbn3uboakytykb eohp700wkjm47p0e onionmagazine_archive_129a rollingstoneuu0

RECLAME - BIC

 

2u56yc4

htfszp

ipy6mt

ARTE DO FUTEBOL – CRUYFF

 

Além de ser um gênio o Cruyff  inventava coisas malucas como esta cobrança de pênalti. Nos anos 1974 os holandeses eram os caras…

BUCK ROGERS NO SÉCULO 25

 

Editora Bloch (1981)

BuckRogersNoSéculo2501PDGRock´nComicsBr00

BuckRogersNoSéculo2501PDGRock´nComicsBr01

BuckRogersNoSéculo2501PDGRock´nComicsBr10

BuckRogersNoSéculo2501PDGRock´nComicsBr21

domingo, 27 de junho de 2010

GELEIRAS, ECOS E ÍDOLOS POP (Folha de S.Paulo 17/05/1984)

 

51W7MBP4K2L._SL500_

PEPE ESCOBAR

ECHO AND THE BUNNYMEN – Apresentação do vídeo inédito “Porcupine”. Como complemento, vídeos de Billy Idol, também inéditos. Carbono 14, hoje e amanhã às 20h30 e 22h.

“Echo and The Bunnymen” surgiu em outubro de 78 para ser uma das maiores bandas do mundo. Quatro de Liverpool. Um vocalista extraordinário – Ian McCulloch, garoto melancólico, Shelley da era tecnotrônica. Reminiscências sonoras de Doors, várias escalas além do psicodelismo. Tinham até mesmo Echo – uma bateria eletrônica, depois reposta por Pete de Freitas, um dos bateristas mais seguros do pop. Três álbuns, três obras-primas: “Crocodiles, “Heaven Up Here” e “Porcupine”.

pepe echo video

Ironia e melancolia, angst e dança. Com o antológico show no Royal Albert Hall, em julho do ano passado, estabeleceram todos os parâmetros sob os quais uma banda pop deveria produzir nos anos 80.

“porcupine” (vídeo de 29 minutos) é um roteiro simples e eficiente para se seguir as melhores músicas do álbum (o único já lançado aqui pela WEA, mas com uma prensagem horrível). Intercala sessões em estúdio dos Bunnymen com filmagens em geleiras das Novas Hébridas, que definiram a concepção visual de “Porcupine”. O único toque mais elaborado é o construtivismo na apresentação da ficha técnica. Não precisa mais nada. Basta a voz de McCulloch nos embalando para um torpor suave – como o, apaixonado de Barthes, via Caspar Friedrich, no topo de uma escarpa contemplando a geleira da paixão. Ou os overlays sinfônicos de “Back of Love” e “The Cutter”, riscados pela guitarra picante de Will Sergeant.

Os Bunnymen – que na Inglaterra são absolutamente reverenciados – não pararam por aí. Este ano lançaram “The Killing Moon”, uma das mais belas canções pop de todos os tempos (“Eu a vi em noites estreladas/ senti seus beijos cruéis/ seus lábios um mundo mágico/ seu céu adornado de jóias/ já está chegando a lua da morte”).

Há duas semanas saiu em Londres seu quarto álbum, agora sem ecos sinfônicos, de volta a pop songs melódicas, mais simples, porém sempre com muita atmosfera. Talvez já não sejam os melhores do mundo (vocês precisam escutar The Smiths, Pale Fountains , Aztec Camera). Mas continuam levando o pop a paisagens inexploradas. WEA, tome vergonha e lance decentemente os Bunnymen nestes trópicos infestados de baianadas e tristes torpes que perderam o bonde da new wave.

Billy_Idol__White_wedding

Junto com os bunnies, o Carbono passa, como complemento, o vídeo de Billy Idol com três músicas de seu penúltimo LP. Idol, para quem não sabe , era vocalista do Generation X, um misto de replicante de Blade Runner com sex-symbol de subúrbio, ideal para as imaginações distorcidas da garotada punk inglesa em 76 e 77. A banda acabou logo e ele reapareceu em 82, dirigido pelo empresário do Kiss. Estourou nos EUA e Japão. Os três vídeos são impecáveis , dirigidos por Tobe Hopper, o piradíssimo criador de “Texas Chainsaw Massacre”, um cult-movie no hemisfério norte, onde um maluco sai de serra elétrica cortando jovens imberbes em um acampamento. “White Wedding” é um dos melhores videoclipes da última safra: loirinhas orgasmáticas, caixões , máscaras, ritmo frenético, montagem anfetamínica, criptas, jogo de identidades, referências de horror movies, couro, seda, um coquetel molotov de signos da época. Louquinhos “wave” e aprendizes de tecnologia eletrônica: dêem um pulo no Carbono e aprendam como se faz.

citações construtivistas…

natureza deslumbrante…

…e o ídolo do Papito.