domingo, 26 de dezembro de 2010

FLASH MOB NATALINO

 

Mais de 27 milhões de pessoas assistiram o vídeo abaixo , um dos mais vistos da história da Internet.

Quando assisti ao vídeo, ponderei a questão do motivo por que eu, um homem crescido que não é conhecido por perder sua compostura, estava chorando como um bebê, e por que muitos outros reagiram da mesma forma, tanto na própria praça de alimentação como entre os usuários que deixaram comentários. Por que é que esse vídeo de uma antiga obra de polifonia cristã estava alcançando e movendo dezenas de milhões de pessoas, uma distinção que normalmente gozam as expressões banais da cultura popular?

A primeira e mais óbvia resposta é que a pura beleza e reverência da peça vêm movendo pessoas às lágrimas desde que foi composta pela primeira vez pelo próprio Handel. De acordo com uma antiga história sobre Handel, seu assistente certa vez o procurou depois de chamá-lo durante vários minutos. Ele encontrou Handel no quarto dele, em lágrimas, enquanto ele estava compondo o Coro Aleluia. “Acho que vi a face de Deus”, disse ele.

do sempre ótimo blog do julio severo

Um comentário:

Cris disse...

É interessante porque tem um sentido maior. Enquanto muitos flash mob(s) simplesmente provocam as pessoas na rua, desconstruindo a ordem, este toca no ponto x da sociedade. O natal perdeu seu sentido cristão - se bem que eu própria não o seja - para dar lugar ao consumismo. O shopping center é o templo do consumo e foi bem lembrado entoar o sentido no natal na praça de alimentação. A OSESP e cia poderia sair às ruas no natal nos brindando com algo do tipo, em vez de (apenas) promoverem programas educacionais para crianças da periferia, esperando que elas acreditem que aquilo foi realmente construído para todos.

AKIM